quarta-feira, 17 de junho de 2015

CHÃO DE DOCES DEMORAS [Webston Moura]


De Sterrennacht - Vincent van Gogh



Minha terra é tudo pelo que me apaixono.
Ela cabe em diferentes geografias.

Por isso, sempre quero não ver
estes que brigam por ninharias.

Minha terra ― como não?! ―
pode ser um chipre floral que,
     bruma por sobre um sonho
                  de céus de Afrodites,
                                        invento:
noite estrelada,
chão de doces demoras.



.............................
# LEIA TAMBÉM:


Webston Moura é o editor dos blogs Arcanos Grávidos e Cotidiano e Mistério, além de co-editor de Kaya [revista de atitudes literárias]. Cearense de Morada Nova, mora em Russas desde 1988. Por formação, é Tecnólogo de Frutos Tropicais. Poeta, é autor de Encontros Imprecisos: insinuações poéticas (Imprece, 2006). Com o poema "A pronúncia da minha língua pela tua flor" e o conto "A vida carpida entre os dentes" participou da revista PARA MAMÍFEROS (Fortaleza, Nº 3, Ano 3, 2011). Com o poema "Enquanto o muçambê delira a meus olhos" participou da Revista do Instituto Cultural do Oeste Potiguar - ICOP (Nº 16, setembro de 2012). Teve ainda poema publicado no projeto Trânsito de Leituras. Aprecia teatro, desenho, boa música, além de questões ligadas a temas como meio ambiente, sustentabilidade, dentre outros. Colaborou tecnicamente com o blog Literatura sem fronteiras. Mantém perfis no Google+ e no Twitter.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com sentimento sincero e responsabilidade, fique à vontade para comentar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...