quarta-feira, 17 de junho de 2015

NÓS, ILHAS DESCONHECIDAS [Webston Moura]


O CONTO DA ILHA DESCONHECIDA (Companhia das Letras)



O que (e quem) somos senão ilhas desconhecidas? Caso nos atenhamos a apenas a algum óbvio, o de que, por exemplo, já sabemos ― a priori e em definitivo ― tudo sobre quem somos, imaginando-nos como seres estáticos e, quem sabe, rasos, jamais tomaremos a iniciativa que nos levará a navegar o nosso mistério. Cada um, ilha a ser buscada por si mesma, precisa, pois, tomar esta tarefa não como uma problema, mas como uma viagem, a sua inevitável e, se possível, boa viagem. Que seja realmente interessante, apesar dos pesares do mundo. Assim é que este livro de José Saramago me tocou. É uma metáfora esta estória. E, como acontece aos bons contadores de estórias, aqui ela tem alguns personagens, um homem que pede um barco a um rei, para que possa ir atrás de uma ilha desconhecida, uma mulher, a quem este homem acaba se ligando e o mais é o que o leitor há de descobrir, lendo página a página. Lembrou-me outro livro do Saramago, A Jangada de Pedra. Mas isto é assunto para outro post.

Serviço:
O CONTO DA ILHA DESCONHECIDA
José Saramago
Companhia das Letras

................
NOTA:
* O exemplar que tenho é o da Editorial Caminho, presente de um gentil amigo escrevente de coisas sentintes. Mas, para facilitar ao leitor (brasileiro), expus a capa do editado pela Companhia das Letras.

................................
# LEIA TAMBÉM:


Webston Moura é o editor dos blogs Arcanos Grávidos e Cotidiano e Mistério, além de co-editor de Kaya [revista de atitudes literárias]. Cearense de Morada Nova, mora em Russas desde 1988. Por formação, é Tecnólogo de Frutos Tropicais. Poeta, é autor de Encontros Imprecisos: insinuações poéticas (Imprece, 2006). Com o poema "A pronúncia da minha língua pela tua flor" e o conto "A vida carpida entre os dentes" participou da revista PARA MAMÍFEROS (Fortaleza, Nº 3, Ano 3, 2011). Com o poema "Enquanto o muçambê delira a meus olhos" participou da Revista do Instituto Cultural do Oeste Potiguar - ICOP (Nº 16, setembro de 2012). Teve ainda poema publicado no projeto Trânsito de Leituras. Aprecia teatro, desenho, boa música, além de questões ligadas a temas como meio ambiente, sustentabilidade, dentre outros. Colaborou tecnicamente com o blog Literatura sem fronteiras. Mantém perfis no Google+ e no Twitter.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com sentimento sincero e responsabilidade, fique à vontade para comentar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...